domingo, 15 de Maio de 2011

Liberalismo


Os liberais davam valor à liberdade quer de pensamento, quer de expressão. Como tal, valorizavam também a tolerância. Respeitavam a Igreja, mas não seguiam os seus dogmas nem obrigavam ninguém a segui-los.
Defendiam também o individualismo. Ou seja, os indivíduos estavam acima do Estado.
Dividiram os poderes em judicial, legislativo e executivo. Dotados assim de forças equivalentes, os três poderes enfim se neutralizariam em confronto uns com os outros.
Além disso, deixaram de praticar as pautas mercantilistas que eram proteccionistas e começaram a defender o liberalismo económico.
As leis passaram a estar ditadas em Constituições ou em Cartas Constitucionais que contavam na maior parte das vezes com a opinião dos populares.
Aboliram-se os direitos que predominavam no Antigo Regime e o Clero e a Nobreza perderam poder. A Burguesia que detinha poder económico passou a ter também poder político que tanto desejava adquirir. Passou então a ser a classe mais favorecida e via os seus interesses realizados (tal como com o liberalismo económico que permitia a circulação de mercadorias sem pagar pesados impostos).




Do Iluminismo ao Liberalismo

O Iluminismo era inicialmente conhecido pelos homens mais ricos da sociedade que tinham capacidades económicas para se instruírem, não se alargando muito ao resto do povo. No entanto, os ideais de liberdade, de igualdade e de soberania popular foram-se popularizando, isto é, adquiriram o apoio da população e assim surgiu o Liberalismo.


Na Europa do século XVII, predominavam os regimes absolutistas, em que um monarca detinha a autoridade total. O povo descontente desencadeou uma série de revoluções, tal como a dos Estados Unidos, a da França e a de Portugal procurando encontrar as suas ideias realizadas.


domingo, 20 de Março de 2011




A Arte durante o Iluminismo

Durante esta época surgiram alterações na arte iluminista:
  • A geometria foi alvo de melhorias.
  • Para os homens do iluminismo, o mais importante numa obra de arte era que esta deixasse transparecer significado. Quanto mais revelasse mais valor tinha.
  • A filosofia, a ciência e as artes uniram-se de forma quase perfeita uma vez que os ideais combinavam entre si. Enquanto que na física existia razão, na pintura existia realismo.
  • Os homens da época concordavam que a arte deveria ser universal e que para tal era necessária a existência de novos métodos que o permitissem.
  • Não queriam que a arte fosse apenas baseada na imaginação e na fantasia.
  • As obras tinham que ser concisas e claras para que todos entendessem.
  • Para os iluministas a obra de arte não tinha que ter um único significado, quanto mais significado existisse mais bela e importante era.
  • A arte tornou-se um reflexo do Homem e da sua racionalidade.


segunda-feira, 29 de Novembro de 2010

O Iluminismo

O Iluminismo, ou a Época das Luzes, ocorreu em meados do século XVIII não existindo consenso quanto à altura certa em que surgiu. Veio revolucionar a mentalidade obscurantista que se tinha naquela altura, desenvolvendo àreas como a ciência, a filosofia, as humanidades. Já não se baseavam apenas no Passado, procurando também através da experiência (experiencialismo) comprovar as suas teorias. Existiram muitos iluministas importantes, entre os quais:

  • Montesquieu: que defendia que os poderes deveriam ser separados do Estado;
  • Voltaire: era um apologista da liberdade intelectual, contestando diversas ideias religiosas. Também ficou conhecido por defender uma monarquia esclarecida.
  • Rosseau: que apoiava os contratos sociais, ou seja, a soberania popular, em que a população deveria escolher quem a governava, podendo depô-lo se estivesse descontente com as medidas tomadas.
  • Descartes: que afirmava que não se devia confiar tanto nos sentidos humanos, devíamos tentar comprovar o mesmo através da experiência.
Com o Iluminismo, a burguesia ganhou preponderância e a igualdade surgiu de forma moderada. Assim sendo, o regimes absolutistas deixaram de se registar com tanta frequência e o 'senso comum' surgiu mais liberal, apoiando até o fim da escravatura.
Os iluministas defendiam que os homens podiam mudar o mundo para um lugar melhor, através do pensamento, do conhecimento, defendidos pelos 'ideais das luzes'.